CEVA • Centro Educacional Vivendo e Aprendendo

Crianças aprendem empreendedorismo na escola

 

Empreendedorismo 3

Empreendedorismo1

 

No mundo atual, ser empreendedor se tornou característica fundamental para quem quer ter sucesso na carreira ou na vida profissional. E quanto mais cedo essa habilidade for desenvolvida, melhor. Pensando assim, o  Centro Educacional Vivendo e Aprendendo (Ceva), incluiu, na sua matriz curricular a disciplina “Educação Empreendedora" que visa preparar alunos para o mercado de trabalho, ensinar a lidar com o dinheiro de forma responsável, além de reconhecer oportunidades e saber desfrutar delas.

A disciplina, ainda desconhecida para a maioria dos estudantes do Ensino Fundamental, tem ajudado os jovens da instituição, a partir dos 6 anos, a ter o primeiro contato com o mundo dos negócios.

Planejar, agir e chegar a um resultado. Estas etapas podem fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso pessoal e profissional. Pensando nisso, crianças, ainda que de forma lúdica,  por meio de brincadeiras e dinâmicas, começam desde cedo a ter contato com a realidade do mercado e com a educação financeira.

A diretora do Ceva, Grace Nogueira, garante que empreendedorismo é assunto de criança, sim. Há um ano, a escola integrou a disciplina em sua grade curricular para cerca de 150 alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental e os resultados já são visíveis. Ela ressalta que, além da questão financeira, a disciplina busca despertar na criança a busca pela satisfação em exercer uma profissão de que goste.

"É preciso desde cedo começar a preparar os estudantes para o mercado de trabalho, conscientizando-os de que o sucesso profissional tem uma íntima relação com aquilo que gostamos de fazer e não só com o que, a princípio, gera melhor remuneração financeira", explicou Grace.

Especialista no assunto, Sâmela de Almeida, que esteve em Campos para treinar professores que ministram “Educação Empreendedora”, aponta que a diferença da disciplina na vida do aluno se dá a partir da mudança de comportamento e conscientização sobre áreas relacionadas ao autoconhecimento, mercado de trabalho, escolha de profissões, empreendedorismo e vida financeira.

“É importante para os estudantes a construção de um projeto de vida sadio e sustentável, baseado em valores humanos e desenvolvendo habilidades empreendedoras em todas as áreas, não somente focada na visão financeira”, ressaltou.

Com apenas 11 anos, Fernanda Giovanna Fonseca Mendes de Jesus já pensa em ser empresária. Apesar de jovem, a estudante  se dedica às atividades escolares e também ao planejamento de seu futuro, segundo ela, incentivada pelas aulas de empreendedorismo.

“A matéria está sendo muito importante, pois me ensinou a economizar, a planejar minha vida, a organizar meu dinheiro, a identificar os valores das pessoas e não só os defeitos. E me incentivou a pensar no meu futuro e a pensar no meu próprio negócio.

Entre dinheiro de mentirinha, criação de empresas fictícias e elaboração de planos de negócios, as crianças vão sendo preparadas para o mercado e toda a sua competitividade. Nas aulas, é utilizada a metodologia OPEE - Orientação Profissional, Empregabilidade e Empreendedorismo, que tem as seguintes metas: proporcionar informações e orientações sobre empregabilidade, empreendedorismo e educação financeira, incentivar e orientar alunos a fazer escolhas conscientes e responsáveis na vida, ressaltar os valores humanos e morais, além de desenvolver habilidades de convivência.

A metodologia ensina, por exemplo, os passos para abrir um negócio, fazer plano de negócios, por meio de simulação, com base no chamado empreendedorismo ético e sustentável. O OPPE abrange a família, através de oficinas; os professores, com capacitação; e os alunos, que aprendem o que é um projeto de vida.

De acordo com o criador da metodologia, o psicoterapeuta e professor Leo Fraiman, mestre pela USP, especialista em psicologia escolar, autor de mais de 20 livros e palestrante internacional, são mais de 100 mil alunos usando o OPPE no Brasil.